Movimento IPTU Justo – luta contra o constante aumento do imposto

0 126

Não é novidade para ninguém que o nosso país cobra impostos abusivos, fato notório no ranking dos países que mais cobram impostos no mundo. Segundo o IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), o Brasil está ocupando o 14º lugar no ranking geral dos países com o maior percentual de carga tributária, além dos impostos abusivos o país lidera o ranking do mau uso dos impostos, segundo o IBPT a destinação da arrecadação no país não chega à sociedade como deveria.

Diante de tal cenário é necessária a mobilização urbana lutando em prol da supremacia do interesse público. O  IPTU está inflacionado, aumentos abusivos e sem retorno transparente para a população, fator que motivou o nascimento do Movimento IPTU Justo.

O Movimento IPTU Justo foi fundado em 2018 na cidade de São Paulo e vem crescendo desde então, lutando contra cobranças abusivas e desproporcionais do IPTU (Imposto Predial e Território Urbano).
Todos os contribuintes recebem o IPTU próximo do prazo de vencimento da parcela, são surpreendidos com o aumento do valor do imposto, sem informações claras e antecipadas. O movimento exige a comunicação antecipada do valor a ser pago, clareza e simplicidade no cálculo da cobrança,  informações precisam de uma publicidade com maior transparência para fazer valer o direito dos contribuintes.

O IPTU Justo recebe o apoio de alguns vereadores, colaboradores e associações, contudo é apartidário. O Movimento foi ganhando força na Capital e expandiu para os munícipios como Campinas e Osasco, há pretensões de expansão por todo o país.

Segundo a descrição do Movimento IPTU Justo, a luta busca:

  • Alteração da LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO e reavaliação da curva de crescimento do IPTU equiparando-o historicamente a um índice conhecido e não ao desejo e mando do prefeito em exercício;
  • Extinção do IPTU Progressivo, que tem como consequência o confisco da propriedade privada. A propriedade é direito fundamental presente no art. 5o, inciso XXII da Constituição Federal Brasileira.
    Adequação do valor venal à realidade de mercado, flutuando para cima ou para baixo. A crise e a deterioração de algumas áreas da cidade fizeram com que os imóveis perdessem valor, o que torna o “valor real”, o “valor venal” e a “alíquota” incompatíveis, inviabilizando a comercialização e, muitas vezes, a própria manutenção do imóvel e consequentemente, mais uma vez, o confisco da propriedade privada;
  • Apresentação de um cálculo transparente, comunicando-o previamente aos contribuintes no fim de cada ano;
  • Oferecimento de negociação e parcelamento aos contribuintes devedores, dando oportunidade real para que o imposto, depois de revisto, possa ser pago, impedindo a EXPROPRIAÇÃO que testemunhamos continuamente.

E essa luta não para por aqui, o Movimento precisa do seu apoio. Seja um voluntário do IPTU Justo, divulgando, conseguindo apoiadores, associações ou empresas para aderir ao movimento. Para mais informações contate através dos Canais:

Não aceite o imposto abusivo, clique no link abaixo e assine o Abaixo Assinado, sua contribuição incentiva e dá força ao movimento. Clicando na imagem abaixo você será direcionado a página do Movimento IPTU Justo e preencher o formulário eletrônico apoiando o movimento.

Exerça sua cidadania e compartilhe, uma pequena ação pode fazer toda diferença. O Movimento IPTU Justo manifesta para que o imposto tenha vínculo à prestação de serviços para a cidade, almeja cobrança de valores justos, em síntese os colaboradores lutam por uma causa favorável a promoção da isonomia e moralidade dentro da administração pública.

Então munícipe, conheça o movimento, apoie essa boa causa.

Ao navegar você concorda que use cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. AceitarLeia mais