Brasil – Sodoma e Gomorra do Século XXI

0 109

Um território contemplado com muito do que a natureza tem de melhor, um país sem registros relevantes de desastres naturais e, apesar de tantas controvérsias e opiniões extremistas, um país pacífico, se analisado sob a ótica da ocorrência de guerras e distúrbios que ocorrem em outras nações.

O Brasil tem tudo para constituir uma nação com um povo isento da miséria e, consequentemente, com a erradicação da pobreza, elitizar a educação com o propósito de dar autonomia a cada cidadão e, após consolidada a disciplina consciente, garantir a existência do verdadeiro patriotismo, ou seja, interiorizar o sentimento de que aqui é a nossa casa e devemos torná-la cada vez melhor, prestigiando o valor social do trabalho, da livre iniciativa e expandir o desejo pela justiça, isenta de controvérsias, alimentada pela simplicidade do certo e do errado que vem da empatia, da essência em perceber que devemos respeitar os interesses alheios da mesma forma que esperamos o respeito aos nossos interesses.

Lamentavelmente, mesmo diante todas as facilidades das quais somos contemplados, o cenário é de um capitalismo predatório onde alguns prevalecem sobre muitos, um verdadeiro “vício social” que é sustentado pela vaidade e concorrência.

Em outras palavras, pouquíssimos ricos favorecem alguns que pensam ter alguma coisa para que possam explorar aqueles que nada possuem. Alguns podem argumentar que vivemos em um Estado Democrático de Direito e que a meritocracia é fator relevante para que hoje alguém seja rico. Contudo a realidade é que a democracia está deturpada, portanto a tal “meritocracia” é bem questionável.
A questão é bem simples, o fato é que nossos governos foram sempre os mesmos!

  • É fato! Não é teoria da conspiração, basta analisar os partidos políticos quem tem assumido ou disputado as eleições desde que você nasceu, certamente a constatação será decepcionante, afinal, são sempre os mesmos!

Não importa o nome que está a frente do partido, são meros representantes dos interesses partidários, sendo assim é notório que existe uma “organização” que está vinte e quatro horas empenhada em estar a frente da administração dos assuntos que regem o país.

A grande questão é: Quais são os ideais dos partidos políticos que tem dominado a Administração Pública?
Teoricamente há os que lutam pelo social, pela igualdade, outros que são favoráveis a liberdade da força de trabalho e da livre iniciativa, já alguns simplesmente não se comprometem a definir um posicionamento ideológico extremista e lançam discursos em conformidade ao momento que julgam mais oportuno, porém, de fato todos até hoje não colaboraram com o país que, no contexto atual, nos faz lembrar as cidades de Sodoma e Gomorra que, segundo a literatura bíblica, foram destruídas em virtude do nível de imoralidade que já haviam atingido.
A nossa metrópole já é suficiente para registrar observações que fazem saltar os olhos, miséria, marginalização e devassidão já alcançaram o status de “normal” até mesmo entre os administradores da cidade.
De forma muito cristalina está exposto o abandono e o oportunismo, não só dos políticos, mas também de traficantes, cafetões e parasitas do sistema que descaradamente investem em voluntariados hipócritas, um parasitismo que, na teoria, astuciosamente legal, mas repleto de imoralidades que só deterioram o pouco de ordem que ainda parece existir.
Visitando a página da câmara municipal de São Paulo, a impressão que se tem é que os vereadores estão alienados ou descompromissados com os problemas da cidade, a julgar pela quantidade excessiva de trabalhos irrelevantes e até ridículos, se alinhada a decadência da qual a cidade está metida.
Visite o site da câmara e tire as próprias conclusões, clicando no botão abaixo:

Atividades Legislativas

Hoje as pessoas defendem as bandeiras “de esquerda” e ” de direita”, uma briga que tem desfavorecido o progresso e está levando os brasileiros a ruína.
De um lado, gente com discursos imorais de apologia as drogas e assistencialismo incondicional, do outro extremistas que defendem justiça com as próprias e a inflexibilidade caracterizada por um “patriotismo” doentio eivado de discursos de ódio, ou seja, bandidos e loucos querendo fazer valer ideologias.
O primeiro passo para que o Brasil tenha alguma chance de ser uma nação honrada é o exercício da honestidade. Infelizmente a malícia, a astúcia, malandragem e o poder de deturpar e distorcer realidades, em nosso país, são características bem recepcionadas e que se confundem com habilidade profissional ou até mesmo dons e requisitos apreciados em algumas classes trabalhistas.
Carteira Nacional de Habilitação comprada, recebimento de benefícios do governo sem fazer jus, ações de pensão para filhos maiores de idade e em condições de trabalhar, mas que registram matrícula na faculdade para forçar o recebimento da pensão alimentícia, ações indenizatórias por algo que, de fato para quem pediu, é irrelevante, pessoas que vivem de invasões de propriedades, sob alegação de serem necessitadas, contudo apenas migram de invasões, ações trabalhistas repletas de inverdades, ONG´s sem motivação altruístas e que visam apenas receberem verbas dos governos, organizações criminosas defendidas por advogados que orientam bandidos a forjarem situações em que deturpam suas atividades ilícitas, passando a serem vítimas perante a sociedade, homens e mulheres que buscam apoio para fazer valer a sua fala na base do taco de beisebol, enfim, o Brasil está tomado de direitos, mas desprezando a moralidade.

A Constituição Federal de 1988 está, diariamente, sendo corrompida, desvirtuada, estão fazendo das muletas uma arma para defender o capeta! Até o Supremo Tribunal Federal, que deveria atentar-se ao espírito de justiça que há nas leis, tem buscado amparo na rigidez formal das leis, sem observância aos propósitos, analogia e hermenêutica jurídica.

Nem tudo que é legítimo é moral!

O Brasil está afogando em imoralidades porque está ignorando o valor cientifico das leis, a maioria das pessoas estão apegando-se em textos literários para vomitá-los como direitos, atitude que demonstra o nível de impureza que há nas mentes brasileiras. Juízes não podem definir o direito apenas reverenciando o que está escrito, urge a necessidade de contemplar o contexto social e o valores morais.

A nação precisa pensar duas vezes antes de anunciar ou exigir direitos sem observância aos deveres.
Os operadores do direito estão viciados na malícia e na formalidade porque é o que tem dado resultados, estamos sendo atacados por teorias e certificando a diferença que há prática. Bandidos sendo beneficiados como doentes, invasores de casas atendidos como sem tetos, organização criminosa sendo noticiada como moradores de rua, integrantes de facções sendo respeitados como militantes de causas sociais.

Honestidade é aquilo que a maioria dos pais, em épocas mais antigas, ensinavam, é saber o que é seu e o que é do outro, distinguir a mentira da verdade e tudo isso sem a complexidade de textos literários, afinal eles existem para contribuir quando há dúvida, infelizmente no Brasil estão sendo usados para um duelo em que prospera aquele que melhor oculta a má-fé.

A distorção das leis tem favorecido a classe dominante, por óbvio, oportunamente, quando há necessidade dentro do contexto do interesse político, fazem do ladrão um santo e vice-versa.
Nos últimos anos o que tem garantido a solidez dos interesses dos verdadeiros ladrões da nação é o assistencialismo e a inversão de valores voltada ao favorecimento de ideologias pregadas pelas organizações criminosas.
Em outras palavras a ideia é : Dar migalhas aos que refletem pouco e depois torná-los aliados e, obviamente, eleitores e fiéis escudeiros.
Há muita influência das ideologias do crime organizado no Estado Democrático de Direito, o que explica a uma juventude que faz oposição ao Estado no mesmo tempo em que estão cada vez mais viciados, ociosos e imorais.
Quem faz da lei instrumento de defesa de mentiras também é bandido, traidor da nação e está desfigurando o país.

  • Não importa se está escrito, tem que estar alinhado com a moral e a ética;
  • Nem tudo que é legítimo é moral;
  • Ciência Jurídica é mais que simples textos jurídicos, envolve contexto social e a subjetividade de cada caso, portanto é aquele “certo” e “errado” que está no coração de cada um que deve prevalecer!

Chega de hipocrisia!

O costume também é fonte do direito, quando você manifesta um direito ou o defende sabendo que não é a atitude mais correta, automaticamente está contribuindo para que no futuro aquela realidade passe ser regra.
Aquela maconha que passou a ser desconsiderada como errada, os bailes funk´s regados a entorpecentes e bebida alcoólica, a prostituição que não passa pelo crivo da Administração Pública, o ladrão e o traficante que são defendidos como se fossem usuários ou moradores de rua, invasores “profissionais” de propriedade, menores beirando a maioridade cheios de malícia que roubam, matam e estupram, porém são tratados como crianças, políticos que defendem cracolândia, marcha da maconha, invasões de propriedades sem observância das verdadeiras razões que as fundamentam, tudo isso está, lentamente, sendo aceito e legitimado como direitos, sendo assim estamos a mercê da consciência de cada um, mas será que tal situação é confiável?

Nossa Sodoma e Gomorra está caminhando para a destruição, mas desta vez será algo semelhante a um suicídio, tendo em vista que a situação atual aponta para fortes tendências da ocorrência de uma guerra ou produção de um cenário de violência da qual o Estado não conseguirá controlar.
Tudo isso porque a honestidade deixou de ser vivida.

Ao navegar você concorda que use cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência em nosso site. Aceitar Leia mais